Paróquia Sagrado Coração de Jesus
Paulínia/SP - Arquidiocese de Campinas
Sempre de portas e coração abertos para acolher
  • Comunidade São PedroComunidade São Pedro
  • Igreja Matriz (foto tirada em um drone)Igreja Matriz (foto tirada em um drone)
  • Igreja Matriz - Vista da praça do chafarizIgreja Matriz - Vista da praça do chafariz
  • Igreja Matriz - No inicio da ReformaIgreja Matriz - No inicio da Reforma


Matrimônio
Matrimonio

O sacramento que, estabelecendo e santificando a união entre um homem e uma mulher, funda uma nova família cristã.

Matrimônio é o casamento entre homem e mulher, celebrado na Igreja e santificado na indissolubilidade e na fidelidade.

O matrimônio imprime caráter sobre o casal, sobre o conjunto que os dois nubentes passaram a formar, e é, por isso, doutrinariamente indissolúvel.

O caráter impresso pelo matrimônio se dissolve com a morte de um dos cônjuges. É um sacramento que só se consuma havendo dois participantes. Sacramento do matrimônio: vocação a serviço da Igreja “A aliança matrimonial, pela qual o homem e a mulher constituem entre si uma comunhão da vida toda, é ordenada por sua índole natural ao bem dos cônjuges e à geração e educação da prole, e foi elevada entre os batizados, à dignidade de sacramento por Cristo e da Igreja”.

A vocação para o matrimônio está escrita na própria natureza do homem e da mulher, conforme saíram da mão do Criador.
O casamento não é uma instituição simplesmente humana, apesar das inúmeras variações que sofreu ao longo dos séculos.
Deus, que criou o homem por amor, também o chamou por amor, vocação fundamental e inata de todo ser humano.

Tendo-os Deus criado homem e mulher, seu amor mútuo se uma imagem do amor absoluto e indefectível de Deus pelo homem. E esse amor abençoado por deus é destinado a ser fecundo e realizar-se na obra comum de preservação da criação: “Deus os abençoou e lhes disse: ‘Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a’” (Gn 1,28). Que o homem e a mulher tenham sido criados um para o outro, a Sagrada Escritura o afirma: “Não é bom que o homem esteja só” (Gn 2,18).
A mulher, “carne de sua carne”, isto é, igual a ele, bem próxima dele, lhe foi dada por Deus como um “auxilio”, representando assim “Deus, em que está o nosso socorro”. “Por isso um homem deixa seu Pai e sua mãe, se une à sua mulher, e eles se tornam uma só carne” (Gn 2,24).

A Igreja Doméstica Cristo quis nascer e crescer no seio da Sagrada Família de José e Maria. A Igreja não é outra coisa senão a Família de Deus.

Desde suas origens, o núcleo da Igreja era em geral constituído por aqueles que, ‘com toda a sua casa’, se tornavam cristãos.
Quando eles se convertiam, desejavam também que toda sua casa fosse salva.
Em nossos dias o mundo que se tornou estranho e até hostil à fé, as famílias cristãs são de importância primordial, como lares de fé viva e irradiante.

Para aprofundar este sacramento: Catecismo da Igreja Católica – 1601-1666

Fonte: http://www.vidacrista.org.br/sacramento-do-matrimonio


Preparação de Noivos:
Em nossa paróquia, a pastoral familiar, através da equipe de noivos, realiza encontro de preparação, o mesmo acontece aos finais de semana em duas tardes, encerrando-se com a Santa Missa.

Nestes encontros é adotada a metodologia participativa, onde são discutidos temas atuais e de interesse dos noivos.


Casamento Comunitário

Chamamos de casamento comunitário a celebração de vários matrimônios ao mesmo tempo, para casais preparados para esse fim, participantes da comunidade ou que desejem dela participar.
Ele é um serviço e uma doação que a Igreja oferece aos casais em busca da vivência mais plena da fé da Igreja.

A celebração do casamento comunitário destina-se a casais que vivem uniões livres de fato há vários anos, ou que estejam casados apenas no civil, com ou sem filhos, mas que desejam receber o sacramento do matrimônio, e ainda não o fizeram por razões várias (Familiaris consortio, n.º 81-82).